Nuttem

O NÚCLEO COMO CIÊNCIA

No domínio da oncologia nenhuma outra área mostrou avanços tão vigorosos da pesquisa e terapêutica como na neuro-oncologia. Anualmente, somente nos Estados Unidos da América, são diagnosticados, aproximadamente, 24.000 tumores cerebrais primários. A estimativa em incidência, para todas as idades, conforme dados colhidos antes da era da tomografia computadorizada (TC), é de 8,2 casos para cada 100.000 habitantes. Diagnosticados em freqüência cada vez maior nas pessoas idosas são responsáveis por 20% das condições malignas antes dos 15 anos de idade. Desta forma, observa-se um pico de incidência na infância, um aumento constante entre 20 e 70 anos e um declínio depois disso.
No Brasil, no período de 1980 a 1998, pôde-se observar aumento na taxa de mortalidade por tumores cerebrais, principalmente nos idosos e mulheres, sendo que a taxa padronizada pela população também cresceu neste período de 2,24/100 mil (1980) para 3,35/100 mil (1998). À princípio, explica-se este crescimento pela maior disponibilidade de acesso aos cuidados com a saúde, particularmente ao meios de diagnóstico por imagem.
Outros aspectos à considerar são o tipo histológico e a localização dos tumores que variam com a idade e o sexo.Assim, a freqüência nos homens é maior do que nas mulheres no caso dos gliomas, ocorrendo ao contrário com os meningeomas, constituindo respectivamente cerca de 60% e 20% de todos os tumores cerebrais primários nesta faixa etária. Já em crianças predominam os meduloblastomas e astrocitomas. Observa-se ainda, que em crianças, os tumores dos sistema nervoso central tendem a ter um prognóstico melhor e ainda, 70% dos tumores estão localizados abaixo do tentório, em comparação a 30 % em adultos, diferindo a sobrevivência por grupo etário.
O tratamento dos tumores encéfalo-medulares têm progredido muito nas últimas décadas. Além dos avanços no campo da neurocirurgia, a utilização de modernas técnicas de radioterapia, combinada com quimioterápicos cada vez mais eficazes, e com menos efeitos colaterais, têm atuado como importantes fatores para o aumento da sobrevida, e importante melhora da qualidade de vida desses pacientes. Além disso, a melhoria da sensibilidade dos exames de imagem, e o maior acesso da população a tais métodos complementares, têm permitido diagnósticos cada vez mais precoces, que ajudam na obtenção de melhores resultados globais.

 

OBJETIVOS DO NÚCLEO

Nosso programa busca, colaborar com o desenvolvimento assistencial da nossa região e favorecer aos portadores de tumores encefálicos e medulares, a oportunidade de uma condução com qualidade, obedecendo a um banco de dados e protocolos para as fases de tratamento, manutenção e recaída da doença, atendendo além do nosso Estado outros Estados vizinhos.
Com a implantação do NUTTEM espera-se ainda:
• Instalação de banco de dados e protocolos para as fases de tratamento dos diversos tipos de tumores do encéfalo e da medula
• Conhecimento das implicações relacionadas à doença.
• Manutenção prioritária de condutas baseadas no conhecimento da patologia.
• Habilidade em antecipar a prevenção de possíveis problemas.
• Reconhecimento e tratamento precoce dos problemas.
• Flexibilidade em descobrir desvios ocasionais do curso previsto, para correção.Incentivar a pesquisa

 

JUSTIFICATIVA:

A limitação dos relatórios epidemiológicos sobre tumores do sistema nervoso central pode-se dar por alguns motivos, como:
- A complexidade histológica,
- A falta de comprovação histológica em alguns casos,
- A natureza retrospectiva de alguns estudos,
- O não seguimento dos pacientes,
- Ausência de bancos de dados,
- A não utilização de protocolos de tratamento,
- Pequeno número de pacientes,
Ainda, os possíveis efeitos da etnia, idade e sexo também podem ser distorcidos pelo acesso desigual a cuidados médicos ou tecnológicos, conforme sugere a variação nas tendências mundiais.
É possível que com a disponibilidade do NUTTEM (Núcleo de Tratamento dos Tumores Encéfalo-Medulares) e profissionais que o compõem, possamos melhor controlar o curso do tratamento, manutenção e recaída destas patologias.

CORPO ADMINISTRATIVO

COORDENADOR DO NÚCLEO (NUTTEM)
PROF. DR. JOSÉ NAZARENO PEARCE DE OLIVEIRA BRIT

1º VICE-COORDENADOR
DR LUIZ CLÁUDIO PEREIRA GALVÃO

VICE-COORDENADOR – RESPONSÁVEL PELA ONCOLOGIA DO NÚCLEO
DR ANDRÉ LUIZ PINHO SOBRAL

SECRETÁRIO:
DR. MARCUS VINICIUS OLIVEIRA DOS SANTOS

Documentos Importantes 

Regimento Interno - Clique Aqui 

PROTOCOLO PRELIMINAR DE LESÕES METASTÁTICAS CEREBRAIS - Clique Aqui 

BANCO DE DADOS PRELIMINAR DE TUMORES ENCEFÁLICOS - Clique Aqui